Portal Expressiva

EVENTOS

Blogs e sites Parceiros

Comitiva divulga XXI Festa da[...]

Boletim previsão do tempo para[...]

Fórum Parlamentar Catarinense define prioridades para 2019

  • 14-02-2019
  • O Fórum Parlamentar Catarinense, em reunião na noite de quarta-feira (13), definiu uma pauta de atuação para assegurar mais recursos para o Estado. No primeiro encontro de trabalho deste ano, os 16 deputados e três senadores que fazem parte da bancada decidiram as demandas prioritárias para esta Legislatura.

    As obras de infraestrutura e logística foram os principais focos de discussão do Fórum. 

    Os parlamentares decidiram que darão prioridade à recuperação das BRs-282 e 470 e a continuidade das obras do Contorno da Grande Florianópolis, que não deve ficar pronta antes de 2022. 

    “Precisamos trabalhar com o governo estadual e a sociedade civil para buscar recursos para essas obras que são muito importantes para a logística do nosso Estado”, defendeu Carmen, que é coordenadora do Fórum.  

    Segundo a parlamentar, o estado avançou muito na área da saúde nos últimos anos, mas ainda há muito a ser feito em relação à habilitação de serviços para a Secretaria Estadual, secretarias municipais e aos hospitais filantrópicos. A deputada informou que a bancada vai reforçar a luta pelo reconhecimento da parte do governo federal dos serviços que são prestados pelo estado acima dos recursos que são repassados pelo Ministério da Saúde para Santa Catarina.

    “Vamos continuar essa luta para reduzir as diferenças per capita entre os três estados do Sul. Já recebemos uma parte, mas precisamos levantar ainda o repasse de R$ 100 milhões ao ano para serem aplicados na saúde do nosso estado”, informou a deputada. 

    Os outros assuntos debatidos foram a retoma das taxas cobradas sobre a importação do leite em pó, a demarcação do Parque Nacional de São Joaquim e o monitoramento de quatro barragens de Santa Catarina.

    Fotos: Robson Gonçalves/PPS

  • Comentários
  • Associação de Voleibol Feminino de Lages retoma suas atividades na próxima segunda-feira

  • 14-02-2019
  • O projeto da Associação de Voleibol Feminino de Lages (Avofel), que atende meninas dos oito aos 14 anos de idade, é realizado no ginásio de esportes Jones Minosso, em parceria com a Fundação Municipal de Esportes de Lages (FME).

    As aulas acontecem três vezes por semana (segunda, quarta e sexta-feira) das 18h às 20h. O professor Francisco Lima, o Chico, um dos responsáveis pelo projeto, espera novas alunas para este ano. “Vamos iniciar os trabalhos na próxima semana e estamos de portas abertas para receber as alunas que já fazem escolinha conosco e também novas meninas que podem fazer parte do projeto”, argumentou.

    Durante o ano, a Avofel participa de diversos campeonatos em Santa Catarina. Os pais interessados em matricular suas filhas nas aulas da Associação podem comparecer diretamente no Jones Minosso em dias de treinos, ou entrar em contato com o professor Chico, através do número (49) 9 9133-3602.

    Texto: Rafael Araldi / Fotos: Avofel/Divulgação

  • Comentários
  • Deputado estadual Marcius Machado apoia campanha contra o assédio no carnaval

  • 10-02-2019
  • A campanha “Não é não” contra o assédio no Carnaval ganhou apoio do deputado estadual Marcius Machado (PR), na quarta-feira (13). O deputado apresentou uma moção apelando para a Secretaria de Segurança Pública (SSP/SC) e ao Centro de Apoio Operacional Criminal (CCR), do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), que deem mais visibilidade a apoio as causas das mulheres.

    Os índices de violência contra a mulher em território nacional registram uma média de 606 casos de violência doméstica e 164 estupros por dia, segundo dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Já na Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, o “ligue 180”, foram registradas no primeiro semestre de 2018 cerca de 73 mil denúncias.

    Sabe-se que os números são bem maiores do que os registrados em 2006 (12 mil), primeiro ano de funcionamento da Central.

    Atualmente, sabemos que a agressão é a física é forma de violência que ganha mais ênfase na mídia, entretanto, existem diversos atos que ferem as mulheres como, a violência psicológica, obstétrica, sexual, moral, patrimonial, homicídio e o assédio.

    Quando falamos em assédio, automaticamente lembramos do carnaval, época festiva que muitas vezes acaba sendo marcado pelas mulheres por casos de assédios. E assim surgiu movimento “não é não”, onde as mulheres utilizam uma tatuagem temporária com a inscrição “não é não”.

    A frase é simples e clara estampada no peito, ou onde ela quiser, para que os homens entendam que não importam os 40ºC, a pouca roupa e nem o excesso de álcool: Não é não.

    O movimento foi criado pelo grupo Barbara Menchise, Aisha Jacob, Júlia Parucker e Nandi Barbosa. O projeto surgiu quando as amigas conversavam sobre uma triste e corriqueira realidade dos festejos brasileiros. Uma garota foi agarrada, tentou se desvencilhar e disse: “Não! Eu falei não, você não entende? Não é não!”.

    Em apoio às mulheres e contra o assédio, seja no carnaval ou em qualquer época do ano, o deputado Marcius Machado pede para que os órgãos públicos deem apoio para essa causa. “É importante dar mais visibilidade as causas femininas, afinal, se elas estão reivindicando algo, é porque estão passando por problemas. Estamos em um novo tempo, não podemos deixar que a segurança da mulher passe despercebida”.

    Mirella Guedes/Ascom Deputado Estadual Marcius Machado

  • Comentários
  • Restauração do Casarão Juca Antunes é iniciada

  • 14-02-2019
  • Obras, que devem durar até 12 meses, contam com investimentos da CTG Brasil e devolverão ao prédio histórico suas características originais

    Construído em meados de 1850, o Casarão Juca Antunes, um dos patrimônios arquitetônicos de Lages (SC), começa agora uma nova fase. Foram iniciadas em janeiro as obras de restauração que vão recuperar as características arquitetônicas originais do imóvel, assegurando a preservação de sua história e proporcionando a sua utilização como um bem público.

    Com duração prevista de até 12 meses, as obras contam com investimentos da CTG Brasil. Ao reconhecer a importância do Casarão Juca Antunes como patrimônio cultural de Lages e de Santa Catarina, a empresa viabilizou a aquisição do imóvel e agora investe em sua restauração. A ação é também uma medida compensatória, via Termo de Ajuste de Conduta, por conta da construção da Usina Hidrelétrica Garibaldi, localizada no município de Abdon Batista (SC).

    “Contribuir para o desenvolvimento das comunidades onde atuamos é gratificante. Manter esse engajamento e envolvimento, participando da vida das pessoas, está entre as nossas prioridades. E a reforma do Casarão Juca Antunes, símbolo tão importante de Lages, vai ao encontro disso”, afirma o diretor de Meio Ambiente, Saúde e Segurança da CTG Brasil, Aljan Machado.

    “Com o início das obras, esperamos devolver em breve o Casarão para a população de Lages, colaborando para manter viva a história do município”, afirma o arquiteto Lurian Furtado, que assina o projeto.

    As obras preveem a restauração de toda a estrutura de telhado, forro e piso, além de pintura e outras adequações na estrutura. A ideia é resgatar as características originais do imóvel, que será entregue à prefeitura da cidade, que ficará responsável pelo seu uso após o processo de restauro.

    Para o prefeito Antonio Ceron, a restauração do Casarão proporcionada pela CTG Brasil contribui não só com a preservação física do local, mas com a memória da cidade. “Lages tem uma rica e extensa história e acreditamos que, após a reforma do Casarão, a comunidade terá mais uma oportunidade de aprender sobre nosso passado”, afirma.

    Tombado pelo governo estadual, por meio da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), em novembro de 2001, o Casarão Juca Antunes é o último exemplar de arquitetura luso-brasileira em Lages. Por conta da importância do imóvel, a CTG Brasil também instalará no local das obras um tapume com fotos e informações sobre o casarão pensando em proporcionar à população de Lages informações históricas sobre este patrimônio, que é de toda a cidade.

    CTG Brasil

    Criada em 2013, a CTG Brasil é uma empresa da China Three Gorges Corporation, uma das líderes globais em energia limpa. Com investimentos em 17 usinas hidrelétricas e 11 parques eólicos, o portfólio da CTG Brasil hoje tem uma capacidade total instalada de 8,28 GW.Segunda maior geradora privada de energia do País, a CTG Brasil conta com a dedicação de seus talentos locais e está comprometida em contribuir com matriz energética brasileira, pautada pela responsabilidade social e respeito ao meio ambiente.

  • Comentários
  • Daniele Oliveira é a Rainha da Vindima 2019

  • 14-02-2019
  • Ela estará hoje no evento de lançamento da festa, que ocorre na sede do Sebrae, em Florianópolis

    A Miss São Joaquim Daniele Oliveira foi escolhida para representar um dos principais eventos da vitivinicultura brasileira, a Vindima de Altitude 2019, que vai mostrar a produção de 14 vinícolas catarinenses entre os dias 1º e 31 de março. Ela estará presente no lançamento da Vindima, na noite desta quinta-feira (14), às 19h, na sede do Sebrae/SC, em Florianópolis.

    A Vindima 2019 será realizada na Praça Cezário Amarante, em São Joaquim, e prevê uma ampla programação que inclui a degustação de vinhos, eventos culturais, cursos, oficinas, sunsets e visitação às vinícolas da região.

    Daniele é empreendedora do mundo da beleza em São Joaquim. Além de sua atuação profissional, ela foi convidada para ser a Rainha da Vindima pelo desempenho apresentado como Miss São Joaquim, título que recebeu recentemente e que a credencia a disputar o concurso Miss Santa Catarina. Ela tem também paixão pelo vinho e mora na cidade que concentra a maior produção de uva e de vinhos de Altitude no Estado.

    "Fiquei muita honrada em poder representar a Vindima, uma festa de grande sucesso e destaque em Santa Catarina e responsável pelo incremento do turismo e da economia na região”, exulta Daniele. “Darei o melhor de mim para poder divulgar esse mágico evento".

    Foto: Dionata Costa

  • Comentários
  • Serra Catarinense abre o calendário de inspeções e ouvidorias da CGJ em 2019

  • 14-02-2019
  • É terminação da Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que todas as Corregedorias do Brasil visitem presencialmente a totalidade das varas ao logo de três anos em seus estados. Em Santa Catarina, além de cumprir essa orientação, a Corregedoria Geral da Justiça (CGJ) está presente em no mínimo 60% das comarcas catarinenses durante o ano. O calendário de 2019 iniciou com correições  e ouvidorias judiciais nas comarcas de Curitibanos e Lages, na Serra Catarinense, nesta semana.

    “O cumprimento da exigência é algo até secundário.  Nosso objetivo estar mais próximos dos magistrados e servidores para compreender a realidade de cada comarca e dar os devidos encaminhamentos”, frisa o Corregedor-Geral da Justiça, desembargador Henry Petry Junior.

    Em outubro de 2018, equipe da CGJ havia estado em Lages com esse mesmo propósito. Naquela oportunidade, também foram visitas as comarcas de Campo Belo, Otacílio Costa e Corria Pinto. Neste ano, de acordo com o desembargador, todas as unidades serranas devem ser inspecionadas.

    Algo que chamou a atenção desta vez foi o número de participantes da ouvidoria. Muitas pessoas estiveram no Fórum Nereu Ramos, em Lages, para conversar com os corregedores. A atividade marcada para ocorrer entre 11h e 11h30min se estendeu até perto do meio dia. Tiveram a chance de elogiar, criticar e sugerir mudanças nas repartições inspecionadas.

    Em alguns setores das duas comarcas se observou um quadro deficitário de servidores e pouco espaço físico, comum em todas as unidades catarinenses.  Especificamente em Lages, há a necessidade de mais um juiz substituto. Atualmente, apenas uma magistrada atende as demandas. Assuntos abordados em conversa com o juiz diretor do Fórum, Leandro Passig Mendes, que recebeu os corregedores em seu gabinete.

    Unidades visitadas

    No Fórum de Lages foram visitados o Juizado Especial Cível e setores administrativos – distribuição, contadoria, central de mandados, secretaria, serviço social,  oficialato da infância e informática. Em Curitibanos, 1ª e 2ª Varas Cíveis, Vara Criminal e Vara da Família, Infância e Juventude.

    Taina Borges – Assessoria de Imprensa do TJSC

  • Comentários
  • Carmen Zanotto fala dos desafios a serem enfrentados para resolver problemas do país

  • 14-02-2019
  • A deputada federal Carmen Zanotto (PPS-SC), em pronunciamento da tribuna da Câmara, falou dos desafios a serem enfrentados pela atual legislatura para atender às expectativas da população, sobre a recuperação da economia, saúde de qualidade e no combate à corrupção e ao crime organizado.

    A parlamentar iniciou o discurso, sempre pontuado por apartes, agradecendo à população de Santa Catarina, em particular da Região Serrana e de sua cidade natal, Lages, por reconduzi-la por mais um mandato. Em seguida, manifestou apoio às medidas do pacote anticrime, defendeu o endurecimento na legislação contra as organizações criminosas e a corrupção. Mas alertou a Casa para risco de dispositivos da proposta sobre corrupção descambar para a “criminalização” de todos gestores públicos de forma geral.

    “Somos apoiadores de primeira hora do combate à corrupção e pelo fortalecimento da Polícia Federal, do Ministério Público e dos demais órgãos de controle externo. Mas não podemos, de forma alguma, generalizar e achar que todos os gestores praticam ilícitos”, afirmou.

    Reformas

    Carmen Zanotto disse que é favor das reformas, em especial a do sistema tributário. Para ela, as mudanças são urgentes porque o país não suporta mais a carga de impostos, que, em sua avaliação, é prejudicial a todos: impacta todo o setor produtivo e impede o Brasil de crescer.“Mas a população é a mais penalizada pelo encarecimento dos produtos”, acrescentou.

    Economia paralisada

    A parlamentar discorreu ainda sobre as dificuldades dos micro e pequenos empresários para sobreviver em uma economia paralisada. Citou como exemplo a crise do setor leiteiro devido ao fim da tarifa antidumping.

    Sobre a Reforma da Previdência, Carmen Zanotto foi firme ao alertar que o texto da proposta que será encaminhada pelo governo ao Congresso Nacional respeite as diferenças entre homens e mulheres e tenha uma “olhar fraterno” em relação aos mais vulneráveis: “É preciso ter um olhar diferenciado, respeitar as diferenças entre homens e mulheres, os trabalhadores rurais, as pessoas com deficiência, os idosos”, afirmou.

    SUS

    Defensora do fortalecimento do Sistema Único de Saúde e autora de várias leis, entre elas a Lei dos 60 Dias, que dá prazo para que o paciente com câncer seja atendimento, Carmen falou dos avanços, mas destacou o crescente subfinanciamento do sistema e os “imensos” desafios a serem superados na área de média e grande complexidade.

    Ao lamentar os problemas enfrentados pela população para conseguir atendimento na área da saúde pública, a parlamentar insistiu na urgência de se resolver os problemas financeiros das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos.

    Para a deputada, é preciso um grande esforço dos Poderes Executivo e Legislativo para atualizar a tabela de serviços prestados por essas instituições.

    Apartes

    Durante o discurso, a deputada Carmen Zanotto foi aparteada por vários colegas, entre eles o vice-líder do PPS na Câmara, Arnaldo Jardim (SP), da bancada e a presidente da Frente Parlamentar da Primeira Infância, deputada federal Leandre (PV-PR).

    Foto: Robson Gonçalves/Gabinete Carmen Zanotto/Silviane Mannrich

  • Comentários
  • 29° Jogos Abertos de São Joaquim - A simbologia da Chama Olímpica

  • 09-02-2019
  • Um dos principais símbolos dos Jogos Olímpicos na Era Moderna é a Tocha Olímpica. Nos Jogos Abertos de São Joaquim, a representação simbólica deste ato se tornou tradição. Acender a Chama Olímpica é uma responsabilidade direta com o esporte. Assim, em todas as edições, a diretoria de esportes nomeia um cidadão Joaquinense para acender e firmar este compromisso. Nesta edição, o joaquinense Paulo Lemos, foi o escolhido, justamente por estar contribuindo para o esporte na região há muitos anos.

    Conheça um pouco da história de Paulo Lemos, popularmente conhecido como “Gibi”:

    Há mais de 12 anos, o joaquinense Paulo Lemos, de 49 anos, contribui assiduamente para o esporte em São Joaquim. Desde pequeno, foi apaixonado pelo o esporte, mas foi na adolescência que teve essa paixão aflorada. Participou de diversas edições dos Jogos Abertos como atleta. Jogou futsal como goleiro e descobriu que era dentro da quadra, entre quatro linhas, que ele se encontrava. Não necessariamente como atleta, Paulinho, mais conhecido como Gibi, sentiu que podia fazer a diferença na vida das pessoas através do esporte.

    Autodidata, começou a estudar o futsal em casa e numa tarde de domingo, há 12 anos atrás, reuniu a garotada da vizinha para um jogo na quadra do Manoel Cruz. Sem muitos recursos, começou semanalmente a fazer encontros, onde ensinava sobre futsal para estes garotos. Aos poucos, chegavam mais e mais crianças. Paulinho foi ficando conhecido e oficializou o seu hobby  como ‘’escolinha de futsal’’. Começou a disputar campeonatos com as categorias de base, tanto no masculino, quanto no feminino, e gerou resultados surpreendentes. Dentre eles, os mais marcantes: 

    Campeão na Taça Lages com a categoria sub 15 masculino - 2010

    Campeão Copa Urubici sub 15 masculino

     Campeão Invicto nos Jogos Abertos com o futsal feminino

    Participação no Jocol em 2016 

    Além disso, participou de duas edições do estadual de futsal com as categorias de base sub 13 e sub 15 pela Nova Serrana. 

    Hoje, a escolinha do gibi, conta com mais de 100 atletas, da categoria sub 5 ao feminino adulto. Uma brincadeira despretensiosa, se tornou sua maior paixão. Hoje, o treinador, não se imagina longe do esporte!

  • Comentários