Portal Expressiva

NAS BANCAS EDIÇÃO DE DEZEMBRO


EVENTOS

Blogs e sites Parceiros

Diretran faz campanha de[...]

Predomínio de sol na maior parte[...]

Diretran faz campanha de conscientização quanto ao uso correto de ciclovia

  • 14-12-2018
  • Estrategicamente, a Diretoria de Trânsito (Diretran) optou pelo horário de final da tarde desta quinta-feira (13 de dezembro), após o horário comercial dos lageanos, para dar início a uma campanha de conscientização da população sobre a utilização da ciclovia localizada centralmente na avenida Duque de Caxias, estendida desde o cruzamento com a rua Correia Pinto até a marginal da BR-282, no viaduto.

    Pedestres que estavam praticando caminhada e corrida foram abordados e receberam orientações. A mobilização consiste em sensibilizar e explicar aos cidadãos sobre a pertinência de ciclovias e demais espaços públicos. A atividade de educação de trânsito na ciclovia acontecerá entre 18h e 21h até o dia 21 de dezembro (sexta-feira).

    Panfletos foram entregues e serão colocadas quatro faixas nos postes da ciclovia para que sejam abrangidas também as pessoas que passarem pelo local em outros horários, e automaticamente estarão alertadas. No material de divulgação estão as seguintes inscrições: “Ciclovia não é pista de Cooper. Pedestre, utilize de forma consciente os espaços públicos. As ciclovias e ciclofaixas destinam-se à circulação de bicicletas. A calçada é o local adequado para que você realize suas caminhadas e corridas diárias. Seja você a mudança no trânsito.”

    O agente de autoridade de trânsito, Luis Ricardo Lehmkuhl, esclarece que em 2019 as operações terão continuidade com períodos de intervalo. “Resolvemos fazer esta campanha por perceber o número elevado de pedestres na ciclovia, o que pode ocasionar acidentes tanto envolvendo os próprios pedestres, quanto ciclistas e até veículos. É pura questão de segurança viária coletiva”, explica Lehmkuhl.

    Há três tipos de ciclovia, cada uma caracterizada pelo tipo de tráfego. No tráfego compartilhado, os automóveis e bicicletas circulam livremente entre as faixas. Na ciclofaixa existe uma faixa específica para o tráfego de bicicletas, porém o trânsito é integrado, há somente um separador. Na ciclovia, a bicicleta possui uma área totalmente separada e independente do trânsito de veículos, pode ser em um ou em dois sentidos. Os parâmetros para a construção da infraestrutura da ciclovia são estudo da rede viária e monitoramento dos cruzamentos, além de tipo de piso ideal para circulação e da rota.

    Texto: Daniele Mendes de Melo/Fotos: Diretran/Divulgação

  • Comentários
  • Governo do Estado entrega laboratório de Viticultura e Enologia à Serra Catarinense

  • 14-12-2018
  • Com investimento de R$ 1,1 milhão, o laboratório dará suporte ao curso de viticultura e enologia, já ministrado pelo educandário em anos anteriores e conta com o apoio do Instituto Federal de Santa Catarina – Campus de Urupema que entra com a parte do conhecimento através dos seus professores. Numa área total de 564 m², a obra conta com dois pavimentos. No primeiro piso, funcionará uma microcantina, com área para recepção da uva, filtração, fermentação alcoólica e engarrafamento do vinho, além de adega e o laboratório de análises. Na parte superior estão instaladas as salas de aula, administração e degustação.  O terreno onde foi construído o laboratório foi adquirido em 2009 pela então Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional - SDR São Joaquim. A construção foi executada pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Educação, que aplicou R$ 549 mil e contou ainda com R$ 553 mil, do Fundo de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

    A entrega oficial aconteceu na tarde de quarta-feira (12) e foi feita pelo secretário da Agência de Desenvolvimento Regional – ADR Lages, que no ato representou o governador Eduardo Pinho Moreira.  “São Joaquim deixou de ser conhecido apenas pelo frio e pela maçã, hoje já está recebendo premiação internacional pela qualidade dos vinhos finos de altitude produzidos pelas vinícolas da região”. Disse ainda que laboratório entregue é o resultado do esforço de muitas mãos que se tornaram incansáveis na luta pela sua conclusão.  Ele lembrou ainda do trabalho realizado pelo ex-governador Luiz Henrique da Silveira que não media esforços para vender a região e seus atrativos por onde quer que andasse. “Aos futuros alunos do curso técnico de viticultura e enologia, desejo sucesso, façam bom uso desse espaço e tenham um grande futuro”, finalizou.

    Já a secretária de Estado da Educação, Simone Schramm enviou mensagem lida durante o cerimonial de inauguração onde destacou a importância do Estado em oferecer um ensino público de qualidade a todos: “Inaugurar o Laboratório de Vitinicultura e Enologia Luiz Henrique da Silveira da Escola de Educação Básica Manoel Cruz é oferecer uma melhor estrutura para os nossos jovens se capacitarem com mais oportunidades para o mercado de trabalho. Por outro lado, é também contribuir para o desenvolvimento socioeconômico da região por meio de um importante setor produtivo: o cultivo de uvas e a elaboração de vinhos, que podem contar com jovens bem formados, qualificados para atender à necessidade de excelência neste mundo globalizado”, disse.

    Após solenidade de entrega, convidados - que foram recepcionados com apresentações musicais realizadas pelos alunos da banda da escola – conhecerem o espaço “que passa a funcionar a partir do ano eletivo de 2019”, como informou a gestora da escola Sônia de Fátima Cândido dos Santos.

    O evento contou ainda com as presenças do prefeito de São Joaquim, Giovani Nunes, da gerente de Educação (Gered), Fátima Ogliari, do diretor do Instituto Federal de Santa Catarina – Campus Urupema, Dr. Marcos Stroschein, do secretário adjunto de Estado da defesa Civil, Mushue Hampel, da ex-secretária da ADR São Joaquim, Solange Scortegagna Pagani, do presidente da Associação dos Produtores de Vinhos de Altitude, Eduardo Bassetti e do ex-aluno, Edson Andrade, um dos primeiros a ser formado pelo curso técnico de viticultura e enologia da EBB Manoel Cruz e que hoje é enólogo da vinícola Villa Francioni.

  • Comentários
  • Polícia Militar Ambiental avalia danos ocasionados por produto desconhecido em área privada

  • 14-12-2018
  • Um produto desconhecido, porém, de forte reação, escorreu de um terreno perto de outras empresas próximas às margens da BR 116, na cidade alta, em Lages. Por onde passou deixou marcas semelhantes à de queimadas, e parte da vegetação afetada, como roseiras plantadas ao longo da cerca, acabaram morrendo. A percepção do dano ambiental ocorreu a cerca de uma semana. Na tarde desta quinta-feira (13), após ser informada da ocorrência a Polícia Militar Ambiental foi investigar. A partir da constatação irá instaurar um procedimento investigatório e análises de laboratório serão feiras para saber exatamente qual tipo de resíduo que causou os danos na vegetação próxima e acabou escorrendo também no riacho.

    De acordo com os policiais, não é possível, sem análise, saber qual a extensão dos danos e ou que tipo de perigo o produto pode representar às pessoas ou ao ambiente. Quem viu disse que não precisa ser nenhum perito para perceber de que é bastante danoso. A preocupação maior é o fato de o resíduo poluente também ter chegado a um riacho que passa nos fundos das empresas instaladas no local. O resíduo avançou em terreno privado e afetou a grama, flores e árvores ao redor, como se fossem queimados por fogo.

    Por outro lado, nas imediações, a comunidade tem sofrido com a liberação de fortes odores provenientes da manipulação de diversos produtos Classe I, de parte de uma empresa situada nesta parte alta da cidade. Agora, o problema se amplia, com o vazamento de rejeitos contaminantes que avançaram a um terreno vizinho. Após a visita da PMA, os que se sentiram prejudicados esperam agora pelas medidas cabíveis, e assim, impedir o avanço desse ou de outros produtos desconhecidos em terrenos próximos. Segundo foi informado, isso ocorreu pela terceira vez.

    Para saber detalhes e a justificativa do vazamento do produto, além do nível de contaminação, foi feito contato com a assessoria matriz da empresa, com sede em Chapecó, mas, até agora não foi dado nenhum retorno.

  • Comentários
  • Meio Ambiente recupera praça no Promorar

  • 14-12-2018
  • Um dia de Sol de primavera é propício para cuidar do jardim, regar as plantas e aproveitar o ar puro em um espaço aberto. Na tarde desta quinta-feira (13 de dezembro), a Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente executou trabalhos de melhorias na praça do loteamento Promorar, localizada na rua Engenheiro Paulo Ribeiro. As benfeitorias compreendem a produção de canteiros com reaproveitamento de bandas de pneus doadas pela empresa Recaplan (materiais que geralmente mandam para reciclagem em Curitiba), plantio de mudas de flores e chás, retirada de entulhos, colocação de terra, limpeza, roçada e colocação de banco artesanal doado pela empresa Arte Rústicos.

    O espaço foi adotado pela comunidade e pelas crianças e pré-adolescentes do 5º ano do ensino fundamental da Escola de Educação Básica (E.E.B.) Professor Armando Ramos de Carvalho, do Bela Vista. Os estudantes desenvolvem o Projeto Lixo Orgânico Zero e desejaram levar o material orgânico produzido para a praça, como restos de comida e cascas de frutas e tubérculos e resíduos de outros vegetais, a exemplo de verduras, folhas, talo, para a fertilização do solo, um riquíssimo adubo no processo de compostagem.

    No mesmo local está a Academia da Melhor Idade (AMI), em que a praça está situada em frente à Unidade Básica de Saúde (UBS) e ao lado da capela mortuária em processo de construção pela comunidade. “É uma ideia inovadora de organização do espaço público, e a praça será cuidada pelos próprios moradores, uma consciência comunitária de preservar as boas condições de um ambiente agradável de descanso e lazer dentro do próprio bairro”, observa o secretário da pasta municipal, Euclides Mecabô (Tchá Tchá), que acompanhou o trabalho.

    Para a diretora de Meio Ambiente, Sílvia Oliveira. “as crianças têm entendimento dos efeitos de se aproveitar os materiais sem desperdício e em respeito à natureza. Os alunos tiveram a atitude de ultrapassar os muros da escola, onde absorvem conteúdos postos em prática na vida. Estamos buscando parcerias de empresas privadas com este pensamento de proteção ambiental e preocupação com o futuro. Pretendemos, a partir das próprias 25 escolas do Projeto que fazem a mini compostagem ecológica através da destinação dos resíduos orgânicos em hortas, com alimentos para merenda escolar e melhoramento no cultivo de jardins, mexer com as comunidades do entorno e todos, irmanados, compreender sua responsabilidade neste planeta”. O presidente da Associação de Moradores do Bela Vista/Promorar, Paulo Moraes, colaborou na atividades desta quinta.

    Compostagem é o processo biológico de valorização da matéria orgânica, de origem urbana, doméstica, industrial, agrícola ou florestal. Um processo natural em que os mciroorganismos, como fungos e bactérias, são responsáveis pela degradação de matéria orgânica, transformando-a em húmus, um material rico em nutrientes e fértil.

    A restauração de estruturas, incluindo plantio de árvores, foi realizada pela Secretaria do Meio Ambiente com ajuda da comunidade em outros pontos: Praças da Bandeira, Joca Neves, da Fraternidade (com engajamento dos Escoteiros) e da rótula de acesso ao bairro Bom Jesus, e o Parque Jonas Ramos (Tanque).

    Para 2019, a Diretoria de Meio Ambiente planeja fotografar todas as praças da cidade e elaborar um portfólio com apontamentos de suas deficiências e pontos a serem modificados para melhor, e então será produzido um planejamento de revitalização com apoio dos presidentes de associações de moradores.

    Por outro lado, a Lei nº: 4.030, de 2014, do Adote uma Praça, será estudada para se tornar exeqüível de forma efetiva no município. Lages já conta com praça adotada pelo Supermercado Martendal e pelo Rotary Club.

    Fotos: Toninho Vieira

  • Comentários
  • Direito da Uniplac é conceito quatro no MEC

  • 14-12-2018
  • Pela primeira vez o curso de Direito da Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac) é verificado pelo Ministério da Educação (MEC) e obteve a nota quatro.

    De acordo com a coordenadora do curso, Aline Lampert Rocha Pagliosa, o quatro foi um resultado que todos buscaram com empenho. “Foi o conjunto, foi um colegiado unido, professores, alunos e técnicos. O curso se uniu pra buscar esse resultado. O direito tem uma importância muito grande, porque ele tem uma história. Sendo assim, ele precisa cada vez ficar mais sólido, para que isso garanta a universidade em uma posição de destaque. Esse quatro é muito merecido, por todo o empenho, todo o trabalho desenvolvido em todos esses anos que o curso existe”, conta.

    A nota foi recebida com festa por todos, mas, para Aline, também há uma razão particular e especial. "Estamos felizes porque é a nossa historia, é a minha história. Eu estou aqui há 28 anos e o curso de direito é a minha vida. É uma realização e saber que quando eu sair a minha história ficou no curso, que foi construído com muito amor, muita dedicação, muito respeito à sociedade e a universidade”.

    Como funciona a avaliação do Ministério da Educação (MEC)

    Dois avaliadores nomeados são enviados para a universidade e eles fazem análises na estrutura, além de entrevistarem o corpo docente, discentes e analisam documentação.

    A coordenadora explica que é por conta disso que o quatro foi consignado ao curso de Direito.

    “É a primeira vez que Direito é verificado pelo MEC, porque nós saímos do sistema estadual e migramos para o sistema federal. Foi a primeira vez que foi verificado pelo sistema federal. É um número muito grande de análises. Eles analisam várias dimensões como infraestrutura, corpo docente, sistema pedagógico, é um conjunto, é quase uma auditoria que o curso passa”, finaliza Aline.

    Texto: Gabriela Sassi/ Central de Notícias Uniplac (CNU)/ Foto: Nanda Zanella (CNU)

  • Comentários
  • Lages tem mais uma turma de adolescentes formada no programa Novos Caminhos

  • 14-12-2018
  • O evento desta quarta-feira (12) no auditório do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) em Lages foi marcado por sentimentos de orgulho, perseverança e esperança num destino promissor. A formatura no programa Novos Caminhos  representa um importante passo dado por 16 adolescentes inseridos em serviços de acolhimento.  Eles foram qualificados  para buscar espaços no mercado de trabalho e com isso ter novas perspectivas de vida. 

    Emocionada, Laura Vitória Soares, de 17 anos, conta que teve uma infância difícil, foi acolhida e agora faz planos. Ela mora com a avó e trabalha em um supermercado  na cidade faz cinco meses. Depois de participar do Novos Caminhos muita coisa mudou. Mais confiante, tem mapeadas três possíveis escolhas profissionais. Na lista estão direito, odontologia e medicina veterinária. 

    “ Foi uma experiência completamente diferente. Fiz coisas que não sabia que tinha capacidade, comecei a me admirar mais e acreditar no meu potencial. Estou extremamente feliz e agradecida”.   

    É essa mudança que o programa Novos Caminhos busca fazer na vida dos adolescentes. Ter qualificação profissional é pensar que o futuro pode ser diferente. “ Aos 18 anos, eles precisam sair das casas de acolhimento e de alguma forma se manter. Com esse encaminhamento, as coisas podem se tornar mais fácies”, reforça o juiz da Vara da Infância e Juventude da Comarca de Lages, Ricardo Alexandre Fiúza. 

    A turma iniciou as aulas em abril deste ano. Os adolescentes participaram de diversos cursos de educação profissional, programas, projetos e atividades complementares que os qualificaram para o mercado de trabalho. A formação profissional é oferecida pelas entidades da Federação das Industrias de Santa Catarina (Fiesc), por meio do Sesi, Senai e IEL, e da Fecomercio, com o Senac. 

    O vice-presidente da Fiesc para a Serra Catarinense, Israel Marcon, lembra como o programa começou e o quanto foi transformador para muitos adolescentes que passaram por ele. “Me questionam se devemos continuar e a minha resposta é sempre a mesma: sim. Enquanto tivermos parceiros fortes e profissionais empenhados, levaremos adiante a ideia de oferecer condições de uma vida melhor a eles”. 

    O Programa Novos Caminhos é uma iniciativa da Coordenadoria da Infância e da Juventude do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (CEIJ/TJSC), junto à Associação dos Magistrados Catarinenses (AMC), Ordem dos Advogados do Brasil/Santa Catarina (OAB/SC), Associação Catarinense de Medicina (ACM), Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) e Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomercio) e Fundação ESAG. 

    Taina Borges – Assessoria de Imprensa do TJSC – Comarca de Lages 

  • Comentários
  • Obras de infraestrutura são executadas no Universitário

  • 14-12-2018
  • A rua Laurindo Vedana, no bairro Universitário, no entorno do antigo kartódromo, está sendo pavimentada com paralelepípedo. Equipe da Secretaria Municipal de Planejamento e Obras, da Prefeitura de Lages, executa os trabalhos.

    Esta obra consiste na “repavimentação” da Laurindo Vedana, utilizando-se do mesmo material que havia sido retirado do leito da rua. “Para que a rede pluvial (linha dupla com tubos de concreto de 1 metro de diâmetro) passasse pela Laurindo Vedana, foi necessário a remoção de todo o paralelepípedo existente nesta rua e agora estamos repondo o calçamento”, explica o secretário municipal, Claiton Bortoluzzi.

    A rede pluvial faz parte do sistema de drenagem das obras realizadas na área de entorno da rua Archilau Batista do Amaral, via que se estende desde a confluência com a avenida Antonio Ribeiro dos Santos até a confluência com a rua Luiz Gonzaga Proença. Tal rede irá desembocar no rio Carahá, escoando as águas das chuvas de área de entorno do Ginásio Jones Minosso.

    Texto: Iran Rosa de Moraes/Fotos: Marcelo Pakinha

  • Comentários
  • Coral Cantando e Vivendo se apresenta no Fórum Nereu Ramos

  • 11-12-2018
  • Este é o décimo ano que o Instituto Paternidade Responsável e os servidores do Judiciário realizam o “Natal do Novo”.  Nesta edição, 98 crianças e adolescentes foram apadrinhadas. Todas elas integram o coral Cantando e Vivendo. Em forma de agradecimento e para celebrar o Natal, haverá uma apresentação na próxima sexta-feira (14), às 17h, no Salão do Júri do Fórum Nereu Ramos. O evento é aberto ao público. 

    Além dos servidores, funcionários do Ministério Púbico e os Amigos do Paternidade se envolveram na ação com a doação de roupas, calçados e doces. A coordenadora do evento, Rita Lang, diz que esse é um momento muito especial para o Instituto. “ Nessa época do ano, naturalmente as pessoas são mais solidárias. Confraternizar e  compartilhar são gestos nobres, por isso, buscamos fomentar os sentimentos de amor e compaixão”. 

    A maioria das crianças e adolescentes é carente e não vive com os pais. Elas estudam nas Escolas Mutirão, Fausta Hath e Santa Helena.  “ Muito provavelmente muitas não receberiam presente de Natal se não fosse a solidariedade dos nossos parceiros”, reforça. 

    Mesmo com todo o empenho em arrecadar os donativos, ainda faltam algumas caixas de bombom para completar o presente. Quem puder e desejar ajudar, basta entrar em contato com o Instituto na sala 55, quinto andar do prédio onde está a Justiça Federal.  

    Taina Borges – Assessoria de Imprensa do TJSC – Comarca de Lages

    Fotos: Arquivo/divulgação 

  • Comentários